segunda-feira, 1 de abril de 2013

Software pirata é atalho para malware e outras ameaças, diz IDC


Após a execução de 533 testes de fontes piratas P2P e web, a IDC descobriu que 36% levaram a Cavalos de Troia e adwares maliciosos


Os consumidores e as empresas que optam por usar softwares piratas estão correndo um risco extremamente elevado de infecção por malware - tanto quando procuram pelo programa, quanto quando o baixam. Ao menos é o que aponta um relatório da IDC feito a pedido da Microsoft.

De acordo com o levantamento "The Dangerous world of Counterfeit and Pirated Software" (.pdf), softwares piratas ou falsificados (ou seja, softwares não-licenciados e falsos que se passam por verdadeiros) tornaram-se um dos mais confiáveis e rápidos vetores de infecção por malware.

Após a execução de 533 testes de fontes piratas P2P e web, a IDC descobriu que 36% levaram de encontro a Trojans e adwares maliciosos. Para DVDs piratas, a taxa foi de cerca de um em cada cinco.

Globalmente, cerca de metade dos softwares pirateados foi conseguida por meio de download, mas os mercados de rua ainda são responsáveis por 21% e "empréstimos" por outros 16%, disse.

As empresas também não se "safam" tão facilmente. O levantamento da IDC mostra que quase um quarto das companhias norte-americanas relatou que funcionários instalavam "seus próprios softwares" nos últimos 2 anos - algo que é fracamente supervisionado.

Isso tudo leva a infecções que podiam consumir 1.5 bilhões de horas em tempo de limpeza, ou um impressionante custo global estimado em 114 bilhões de dólares em 2013 por software falsificado em todos os tipos de usuários, incluindo empresas.

Fonte:IDGNOW!
Entre em contato com a Raidbr, legalize seu software e obtenha a segurança e
confiabilidade que só um software original pode oferecer

Pesquisar neste blog