quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Com o Windows 8 Enterprise Microsoft redefine 'virtualização'


Combinados, Windows Server 2012 e Windows 8 representam as maiores mudanças já vistas na Microsoft em uma década.


Para as empresas, o grande atrativo da Microsoft está no combo Windows 8 + Windows Server 2012 + Hyper-V, que, juntos, vão criar um sistema poderoso para execução de ambientes virtualizados.

Combinados, Windows Server 2012 e Windows 8 representam as maiores mudanças já vistas na Microsoft em uma década. Agora, a fabricante vai brigar com empresas como Red Hat e VMware.
Tanto o Windows 8 quanto o Windows Server 2012 têm o estilo Metro GUI, mas essa não é uma mudança tão radical. Por outro lado, um dos recursos que não constam no novo Windows é o botão "Iniciar" e alguns menus. Se você sabe mexer no Windows 7 ou no Windows Server, as reformas do menu tornam-se mais óbvias e simples.

O Windows Server e o Windows 8 Enterprise estão muito à frente de seus pares em implementações para grandes empresas. Isso sem contar com a funcionalidade de gerenciamento adicional disponível a partir do Microsoft System Center 2012.

Dentro da plataforma Windows Server 2012 há uma mudança importante em linha com o desejo de Bill Gates. Ele havia declarado que o Windows seria executado em um ambiente de programação BASIC. Isso foi uma alusão ao script de Visual Basic que tornou-se popular.

Esses esforços permitiram que organizações integrassem código personalizado com aplicativos do Microsoft Office, e os esforços de desenvolvimento web passaram a focar nos serviços do Microsoft SharePoint. O objetivo é dar à plataforma Windows potencial tanto para programação quanto para customização.

Windows 8 Enterprise

Há mais diferenças do que limitações, e há apenas três versões diferentes do Windows 8 para escolher: Home, Professional e Enterprise. Cada edição tem diferentes conjuntos de recursos, e a Enterprise é diferenciada pela sua capacidade de ser ativada por meio do Windows 2012 Key Management Services. A versão Professional/Enterprise pode ser comparada ao Windows 7 Ultimate.

O Hyper-V vem no Professional/Enterprise (vamos chamá-lo de W8E), que é a mesma versão que vem com o Windows Server 2012, e substitui o Windows Vista/Windows 7 Virtual PC. O Virtualizador de aplicação da Microsoft, o App-V, foi atualizado e agora tem uma característica física para virtual. O App-V V5 permite, assim como as versões anteriores, uma conexão remota para um aplicativo que está em execução em outro lugar.

O Windows 8 não é tão radical quanto o Windows Server 2012, mas a estratégia de interface do usuário é um ponto de partida para melhorias de funcionalidades interativas. O Windows 8 é mais distribuído e trabalha duro para manter presença no mercado corporativo.
Windows Server 2012 (Standard e Data Center)

Boa parte do trabalho da Microsoft em 2012 foi consumido para tornar o Hyper-V mais competitivo com características diferenciadas em comparação com outros fornecedores de serviços em nuvem, e ainda na gestão e foco em capacidades corporativas.

A empresa não tem de implementar todas as opções para obter a tradicional arquivo e impressão, controles Active Directory e MS Exchange.

O que a Microsoft adicionou foi a capacidade de chegar a esses recursos extras, de forma rápida e com procedimentos racionais, ou cargas modificáveis depois de implementados para organizações maiores, que devem distribuir cargas de servidores personalizados.

Há duas versões do Windows Server 2012: Standard e Data Center, ambas podem rodarem opcionalmente sobre Hyper-V. Estão disponíveis duas versões limitadas. A primeira é o Windows Essentials 2012 (25 usuários, 50 dispositivos, um servidor) e a outra o Windows Server 2012 Foundation (até 15 usuários, mas sem os recursos do aplicativo Essentials que são parecidos com o Windows Business Server 2008 Small/SBS).

Cada licença do Windows Standard/Server cobre apenas dois processadores físicos. A Standard Edition permite duas máquinas virtuais (VMs, do inglês) e as licenças podem ser empilhadas em até oito VMs para duas licenças no mesmo servidor. Licenças de Data Center são essencialmente ilimitadas.

A Microsoft quer usar o Windows Server 2012 como o ponto crucial de muitas implementações de nuvem, mas ainda não tenha a textura leve e flexível do Linux. Um ponto de atenção, no entanto, são os custos de licenciamento, considerados elevados. 
Fonte: CIO

Pesquisar neste blog